2

Primeira Interferência Solar nas Comunicações da Terra

Em 2 de setembro de 1859, os telegrafistas por toda a América do Norte notarão algo peculiar: seus equipamentos continuaram a funcionar mesmo desconectados da rede elétrica. O que estava acontecendo de tão especial naquele dia e como eles podiam continuar enviando e recebendo telegramas mesmo sem estarem conectados a rede elétrica?

Labareda Solar

Uma labareda solar de proporção gigantesca estava bombardeando a Terra com tanta energia que as linhas telegráficas foram energizadas. Os telegrafistas dos Estados Unidos informaram que seus telégrafos estavam operando melhor do que nunca por causa do retorno elétrico que estava recebendo das linhas telegráficas.

Este evento marcou a primeira observação dos efeitos que o Sol tem sobre uma rede de comunicação. Naquele tempo, os cientistas ainda não haviam correlacionado os eventos observados no Sol com o magnetismo terrestre por que o conhecimento ainda não era largamente disseminado. Na infância da ciência espacial, várias teorias tentavam explicar fenômenos como Aurora Boreal, uma delas bastante curiosa:

A Aurora (eletricidade desprendida das crateras dos vulcões) em parte se dissolve na atmosfera, outra parte é se espalha pelo espaço ou se concentra em uma substância gelatinosa formando meteoros, chamados de estrelas cadentes. Estes meteoros se dissolvem rapidamente no ar da atmosfera, mas às vezes, antes de se dissolverem completamente, alcançam a Terra na forma de um pó fino tipo amido.

Hoje sabemos que quando uma labareda solar atinge a Terra, o campo magnético do nosso planeta (região chamada de magnetosfera) é chacoalhado. A medida que o plasma magnetizado emitido pela Sol empurra as linhas de força da magnetosfera, uma intensa corrente elétrica é induzida em toda a atmosfera terrestre. Se a energia desprendida pelo Sol for muito intensa, as correntes induzidas na Terra podem ser captadas por linhas de transmissão de energia e pode causar apagões em escala mundial. Satélites e aviões podem ser danificados permanentemente caso expostos a tais correntes.

De 1859 até hoje, o homem percorreu um longo caminho de desenvolvimento tecnológico, mas muito pouco pode ser feito caso uma nova labareda solar seja desprendida em direção à Terra.

© 2011, DXBrasil. Alguns direitos reservados. Licença Creative Commons

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Luc, PY8AZT

Eu sou o Luc, PY8AZT. Ingressei no radioamadorismo em 1992. Sempre me dediquei ao DXismo e competições de rádio. Nasci em Castanhal, Pará, porém vivo em Fortaleza, Ceará desde 2006, onde opero como PT7AG. Durante os campeonatos de radioamadorismo participo do time de operadores da estação de contest PW7T do Fortaleza DX Group. Há 6 anos, dedico parte do meu tempo ao Portal DXBrasil, contribuindo com informações, notícias e artigos de interesse da comunidade radioamadorística de língua portuguesa. Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo...

2 Comments

  1. Ola Tom,

    O ano é mesmo 1859. O fato ocorreu no telégrafo com fio, antes da invenção do rádio. As linhas telegráficas funcionaram como antenas e energizaram os telégrafos que continuavam funcionando mesmo desconectados da rede de energia.

Deixe uma resposta