Arquivo da tag: propagação

CQWW SSB 2012: Previsão de Propagação

Sem dúvida, este é o fim de semana mais importante do ano para ávidos DXistas e Contesteiros. Chegou a hora de colocar sua estação a prova. Testar suas novas antenas, rádios e, principalmente, seus ouvido! Participe do CQ World Wide DX Contest 2012, etapa fonia.

A previsão de propagação considerou uma estação em São Paulo (PY2) com antenas de recepção com ganho constante de 5dB, enquanto as estações DX foram modeladas com antenas de alto ganho, operando com 1.500Watts. O SSB foi fixado em 86. As condições reais podem ser dramativamente diferentes da previsão porque o Sol passa por um período de violentas tempestades com ejeção de grande energia em forma de raios cósmicos. A magnetosfera da Terra até agora não foi severamente afetada, mas é provável que isso ocorra durante o fim de semana.

Para ajudar no seu planejamento, preparamos tabelas de previsão de propagação partindo de PY2 para várias partes do planeta. No arquivo abaixo, você encontra as tabelas com previsão de intensidade em todoas as bandas e horários para os seguintes países: USA (W1, W5, W6), Europa (SV, DL, R3), Sudeste Asiático (9V), Oceania (VK, ZL). Com base nestas tabelas, você pode montar seu próprio planejamento para o CQWW.

Boa sorte a todos no CQWW SSB 2012. Observe o regulamento, os limites de potência para sua categoria e não se esqueça de enviar seu log em até 5 dias após a competição. Ah, mais uma coisa, divirta-se bastante!


CQWW SSB 2012 - Previsão de Propagação (70,4 KiB, 127 hits)  CQWW SSB 2012 - Previsão de Propagação


Turbulências Solares Atrapalharam IARU Contest

Não é preciso ser expert em propagação para entender o gráfico acima. Este é o gráfico do Índice K, gerado a cada 3 horas a partir da medição da atividade geomagnética em estações terrestres. O K representa o distúrbio do componente horizontal do campo magnético da Terra. O índice K é uma escala para o chamado “ak” que varia entre 0 e 400, de acordo com a tabela abaixo:

K 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9
ak 0 3 7 15 27 48 80 140 240 400

Infelizmente o Índice K atrapalhou um pouco o fim-de-semana no rádio (15/16 de Julho), principalmente os participantes que esperavam bons contatos nas bandas altas (10,15 e 20m). O K acima de 4 gera os chamados “blackout” ou apagões em HF e mais fortemente acima de 10MHz.

Serminário: Atualização do Ciclo 24

No seminário em agosto de 2009, K9LA apresentou o mínimo solar entre o Ciclo 23 e 24 e o prenúncio do Ciclo 24. Agora em julho de 2012, o mesmo palestrante fará uma revisão do mínimo solar e apresentará a situação atual do Ciclo 24. Outros dois tópicos serão discutidos: efeito de árvores na propagação em HF e MF; e a melhor altura para sua antena.

Título do seminário: Update on Cycle 24 and more
Idioma: Inglês 

O serminário será realizado em duas datas:

Data: Quinta-feira, 19 de Julho
Hora: 01:00 UTC
Registro (gratuito): https://www2.gotomeeting.com/register/606121362

Data: Sábado, 21 de Julho
Hora: 19:00 UTC
Registro (gratuito): https://www2.gotomeeting.com/register/699956578

Propagação para o ARRL DX CW 2012

up2x0p53

A propagação para este ARRL DX CW 2012 será típica para o período do ciclo solar que estamos atravessando. Apesar do número de manchas solares (SNN) ter caído bastante (40-50 SSN) nos últimos dias, a Ionosfera manteve-se bem estável, com curtas turbulências (K abaixo de 4). As chances de explosões solares para os próximos dias são pequenas (Solar Flare Risk M-Class: 01% X-Class: 01%).

Traduzindo todos estes dados em miúdos, vamos ter aberturas razoáveis nas bandas 20/15m pela manhã, com expressiva melhora na parte da tarde. Há boa chance de aberturas interessantes em 10m durante a noite, especialmente para a Costa Leste (WØ, W6 e W7) dos Estados Unidos.

Resumão:
10-15z: 20 e 15m (possível 10m)
15z-21z: 20, 15 e principalmente 10m (Costa Oeste)
21z-00z: 40, 80 e 10m (Costa Leste)
00-10z: 160, 80 e principalmente 40m

Abaixo, previsão de propagação para o ARRL DX CW 2012:


Propagação para o ARRL DX CW 2012 (226,2 KiB, 244 hits)  Propagação para o ARRL DX CW 2012


Boa Sorte no Contest!

Propagação Decepciona no ARRL 10m Contest

Uma nova mancha está escondida no limbo nordeste e deve surgir na face voltada para a Terra nas próximas 24-48 horas.

A expectativa de excelente propagação durante o ARRL 10m Contest não se confirmou. O número de manchas solares (SSN) que estava acima de 140 no sábado, caiu para 90 no domingo. Isso prejudicou principalmente as aberturas via Short Path para Europa e USA. No entanto, no caminho longo e via polos foi uma alternativa aos participantes com boas antenas.

O informe diário sobre os índices solares indicou baixa atividade e com uma labareda Classe-C detectada nas últimas 24h. As manchas 1363 e 1364 estão se deslocando para o limbo oeste do Sol e logo não serão mais vista da Terra por causa da rotação do Sol. Uma nova mancha está escondida no limbo nordeste e deve surgir na face voltada para a Terra nas próximas 24-48 horas.

Sexta-feira

Sábado

As fotos acima mostram a evolução de uma região no lado escondido do Sol (face ainda não visível aqui da Terra) na qual uma uma grande mancha solar surgirá no limbo visível do Sol. Essa grande mancha deve empurrar o SSN novamente para patamares acima de 120. Portanto, volta da boa propagação em 10m – após o contest Smiley triste.

Fonte: solarham.com

ARRL 10m 2011: Tabela de propagação

ungvsfuo

O ARRL 10m Contest é uma das competições internacionais mais populares. Com a grande melhora na propagação ocorrida nos últimos meses, este ano o ARRL 10m será um dos melhores dos últimos 10 ano. Muitos operadores casuais aparecem no ARRL 10m, e mesmo com estações modestas – um pedaço de fio e 100Watts – será possível dar a volta ao mundo!

Acesse o regulamento do ARRL 10m 2011

Estamos disponibilizando para download tabelas de propagação para várias regiões importantes do globo, para algumas dessas regiões além do caminho curto (short path) incluímos a previsão pelo caminho longo (long path):

gmiv1ukm

Boa sorte a todos no ARRL 10m 2011!


Tabela de Propagação - ARRL 10m Contest 2011 (807,7 KiB, 200 hits)  Tabela de Propagação - ARRL 10m Contest 2011


1957: O Ano da Propagação

Estamos todos animados essa propagação maravilhosa. O Fluxo solar acima de 150 e o número de manchas em 140 juntos estão as bandas altas cheias de sinais. Então, imagine se você estivesse operando em 1957 – “O Ano da Propagação!”.

Por todo o ano de 1957, o fluxo ficou acima de 200, mas em 25 de dezembro (um presente de natal, talvez) o fluxo chegou a marca histórica de 380 e o número de manchas no recorde de 360! Havia propagação em F2 em 50MHz e provavelmente em 144MHz. Nestas condições, no entanto, é provável que as bandas de HF sofreram apagões por causa do Índice A que estava acima de 160.

Gráfico dos dados Solares e Geomagnéticos de dezembro de 1957

Dezembro de 1957

Propagação durante o CQWW CW 2011

O CQWW CW praticamente encerra a temporada 2011 de grandes contests, restando apenas o ARRL 10m, que será a “cereja do bolo”, de um ano muito bom para os DXistas e Contesteiros. Mas como será a propagação durante o CQWW CW 2011?

A tabela abaixo mostra a evolução da média mensal do Fluxo Solar (FLUX) e número de manchas solares (SUNSPOT#) entre janeiro e outubro.

Tabela da média mensal de fluxo solar e manchas solares

Portanto, 2011 começou com média de fluxo solar 83,7 e em outubro subiu para 137,2. O mesmo aconteceu com a média do número de manchas solares, que em janeiro era 32,1 e no décimo mês do ano já estava em 123,5.

Porque estes números são importantes? Compare os dois gráficos abaixo:

Intensidade de sinais entre PY2 e W6 em 28MHz em Janeiro 2011

Intensidade de sinais entre PY2 e W6 em 28MHz em Outubro 2011

O gráfico da esquerda mostra os horários e intensidade de sinais entre PY2 e W6 em 28MHz usando 1kW com SSN de janeiro (32). O gráfico da esquerda também mostra a intensidade de sinais entre PY2 e W6 em 28MHz usando 1kW, mas com o SSN de outubro (123). Ambos foram produzidos no WinCAP, com as mesmas variáveis e modelagem de antenas, exceto pelo número de manchas solares média mensal.

Resumindo, as bandas altas – especialmente 10m – estarão mais uma vez “entupidas” de sinais. Com estas condições especiais de propagação, mesmo estações pequenas, com antenas simples de fio terão a oportunidade de dar a volta ao mundo em CW!

Abaixo, a tabela de propagação para o CQWW CW 2011.


Tabela de Propagação - CQWW CW 2011 (608,9 KiB, 210 hits)  Tabela de Propagação - CQWW CW 2011


Boa diversão a todos!

CQWW SSB 2011: Tabela de Propagação

propagacao-10m

A chegada, de fato, das manchas solares, modificou bastante o cenário DXista. Agora, as bandas altas, especialmente 10m, deixaram de ser apenas coadjuvantes, para assumir o papel principal na maior competição internacional em fonia do ano!

Portanto, as tabelas de propagação ficaram mais complexas e não apenas uma estratégia operacional. Os operadores que vão participar nas categorias Mult Banda devem tomar decisões sobre quais bandas e quando operar em cada uma delas para ter um bom equilíbrio entre número de QSOs e multiplicadores.

O arquivo disponível no fim deste post pode servir de base para que cada um construa tabelas secundários com os melhores horários por continente para cada banda, conforme o exemplo abaixo:

image

Assim, o operador saberá quando operar naquela banda para fazer muitos QSOs (rate alto) e quando será mais vantajoso ir na banda em busca de multiplicadores raros.

O Portal DXBrasil deseja um fim de semana muito divertido a todos os participantes e lembra que o jogo fica ainda mais divertido se TODOS ENTENDEREM E RESPEITAREM O REGULAMENTO.


Tabela de Propagação CQWW SSB 2011 (549,0 KiB, 221 hits)  Tabela de Propagação CQWW SSB 2011


Rotuma (3D2R): Previsão de Propagação

3d2r-logo

A DXpedição 3D2R – Rotuma Island – está no ar e alguns brasileiros já conseguiram entrar no log. Para facilitar a caça desta rara entidade DXCC, abaixo estão disponíveis duas tabelas com previsão de propagação entre PY2 e Rotuma:


3D2R - Previsão de Propagação (Small Pistols) (84,4 KiB, 234 hits)  3D2R - Previsão de Propagação (Small Pistols)



3D2R - Previsão de Propagação (Big Gun) (84,5 KiB, 184 hits)  3D2R - Previsão de Propagação (Big Gun)


Propagação durante o Grayline

A densidade da Ionosfera, absorção, MUF e zona de silêncio mudam bastante a medida que a Terra gora em torno do seu próprio eixo. A região do globo exposta à luz do Sol muda cada 24 horas. Geralmente, as bandas altas permitem contatos durante o dia, enquanto as bandas altas baixas são melhores à noite. Entretanto, fenômenos interessantes ocorrem durante dois curtos intervalos nos quais há a transição entre DIA-NOITE e NOITE-DIA.

Os DXistas descobriram que durante as transições DIA-NOITE (anoitecer) e NOITE-DIA (amanhecer) há excelentes oportunidades para trabalhar DX raros. A região de penumbra mostrada no mapa abaixo é chamada de “grayline”.

GrayLine2

Durante os dois períodos diários de penumbra, a propagação em HF nas áreas dentro ou próximas do grayline podem mudar rapidamente pelas seguintes causas:

  • no nascer-do-sol (sunrise), o Sol começa a construir as camadas superiores da Ionosfera (Camadas F), mas ainda não teve tempo suficiente para formar as camadas inferiores E e D (que absorvem as ondas abaixo de 10MHz); e
  • no pôr-do-sol (sunset), o Sol tem um efeito reduzido nas camadas inferiores que provocam absorção em HF, enquanto boa parte das camadas superiores continuam presentes.

Há dois aspectos diferentes da propagação durante o grayline:

  • Fortalecimento do sinal durante Sunrise/Sunset: Nas bandas abaixo de 14MHz, a propagação é melhor no lado escuro do globo. A medida que a Terra gira, e o amanhecer se aproxima, os sinais emitidos pelas estações na linha do nascer-do-sol (grayline) terão seus sinais fortalecidos para as estações a oeste do lado escuro. Este aumento da intensidade do sinal repentina ocorre porque a ionização da camada F aumenta ao mesmo tempo que a camada D ainda não está formada, proporcionando ótimas condições para toda a região escura da Terra. Em 160m, este aumento da intensidade dos sinais durante o grayline é muito importante para realizar contatos com estações do lado escuro do globo. As estações que estão no cenário inverso – posicionadas no por-do-sol – também experimentam o mesmo fenômeno, porém muito menos evidente e usualmente não dura mais que 5-10 minutos.
  • Caminho da propagação durante o Grayline: Em adição ao aumento da intensidade dos sinais durante o grayline, mais um aspecto único que ocorrem apenas quando duas estações estão localizadas dentro ou próximas do seu grayline. Ou seja, uma estação está no amanhecer local e a outra estação está no anoitecer local. A medida que o Sol se põe ou nasce, a mudança repentina da ionização da atmosfera resulta em um gradiente na densidade de íons entre as altitudes alta e baixa – criando um condições ideais para que a camada F possa transportar sinais de HF de uma ponta a outra do grayline. Outras interações com a camada F podem resultar em refrações adicionais (saltos) até que as ondas de rádio encontrem outra região de penumbra que permitirá que as ondas sejam desviadas de volta para a superfície da Terra. Veja a figura abaixo ilustrando um contato entre VU4 e W5.

ChordalHop1

Fonte: http://www.deltadx.net/ABCDx/Sections/Propagation.htm

Abaixo, um contato realizado entre PT7CB e VK4TXU em 40m às 1935z no qual ambas estações estavam dentro (VK4) ou próximas (PT7) do grayline:

WebSDR: Receptores via Internet

websdrluuvAs estações WebSDR consistem resumidamente de vários receptores espalhados por diferentes países disponíveis gratuita e livremente na Internet. Cada estação por si, ainda permite a utilização a múltiplos radio escutas sintonizar simultaneamente diferentes sinais em variadas bandas.

Vamos descrever seguidamente um exemplo pratico da sua utilização na monitorização remota e online da nossa própria emissão, escutada a milhares de Km, partindo de diversas ferramentas também elas disponíveis gratuitamente online na Internet.

Queremos saber como somos recebidos em São Paulo no Brasil emitindo desde Portugal:

  1. Necessitamos, neste caso de saber em primeiro lugar quando previsivelmente existirá propagação para uma ligação em HF entre a nossa localidade em Portugal e São Paulo no Brasil..?!  Consulte por favor a noticia neste site com o titulo " Previsão de Propagação online (VOACAP). " onde se descreve o que fazer para obter essa previsão online.
  2. No sitio WebSDR – Software-Defined Radio, receptores conectados na Internet dá-nos a possibilidade de escolhermos livremente vários servidores ligados a diversos receptores em diversos países, disponível em http://www.websdr.org
  3. Como queremos saber em que condições somos recebidos em São Paulo no Brasil, selecionamos neste sitio o Receptor SDR Brasileiro em Sorocaba, São Paulo, no Brasil.
    Este receptor dispõem de duas bandas acessíveis:
    => 40m de 7.055 a 7.247kHz com um Dipolo para 40m
    => 20m de 14.200 a 14.300kHz com uma Delta-Loop Vertical.

Assim e com os dados obtidos inicialmente com o VOACAP Online, e quando previsivelmente existirá propagação para uma ligação em HF nos 20m entre a nossa localidade em Portugal e São Paulo no Brasil selecionamos, no  Receptor SDR Brasileiro em São Paulo no Brasil uma frequência livre nesta banda.

Os receptores SDR permitem que vários usuários controlem o mesmo rádio, sem problemas, veja abaixo:

Agora ao transmitirmos em Onda Curta podemos quase que imediatamente monitorizar a nossa própria emissão via Internet recebida no receptor SDR no Brasil.

Alias, o mesmo se aplica a todos os outros WebSDR conectados na Internet  em vários países do Mundo referenciados no sitio WebSDR – Software-Defined Radio.

Revira-volta: 167 Manchas Solares

Há exatamente dois meses atrás publicamos um artigo dizendo que o Próximo Ciclo Solar seria Dúvida e que ele entraria em hibernação. Felizmente, o Sol está dando sinal que estávamos errados! Hoje (16/Setembro/2011), a contagem de manchas solares na superfície do Sol bateu mais um recorde: 167 manchas, o maior registro desde o início do Ciclo Solar 24.

ssn_2005_2011

O Sol virou a mesa!

Essa virada ocorreu 30 após os observatórios solares anunciarem o segundo dia sem manchas solares em 2011 (16/Set/2011), quando o SSN diário voltou para a marca ZERO. Ainda que a propagação não seja diretamente relacionada ao número de manchas solares, esta marca é histórica, pois foram registradas pela última vez há 6 anos (04/junho/2005), veja o gráfico acima.

Número de dias sem Manchas

Como o Sol não parece estar com presa para mostrar sua energia em forma de labaredas solares, os cientistas estão acompanhando a evolução do ciclo solar através da contagem de dias sem manchas solares. Em 2009, foram 250 dias sem manchas, fato que não ocorria a mais de 100 anos. Em 2010, foram menos de 50 dias sem nenhuma mancha no limbo solar.

Finalmente e felizmente, em 2011 (até agora), foram somente 2 dias sem manchas solares: 17 de janeiro e 15 de agosto. Isso é uma excelente notícia para os radioamadores. Finalmente, os dias de tédio e chiadeira nos receptores vão ficar para trás. Espera-se que até o fim de 2012, provável pico deste minguado ciclo 24, o número de manchas e o fluxo solar ainda cresça mais uns 30%, e com ele ocorram mais atividade nas bandas altas de HF, e até mesmo em 50 e 144MHz.

As bandas de 28MHz e 50MHz são as mais sensíveis ao fluxo solar. Hoje, várias estações relataram aberturas para o Pacífico Sul em 10m e para o norte da África em 6 metros.

Abaixo, uma animação feita com fotos sequenciais do Sol mostra o crescimento de uma mancha solar:

Fonte dos gráficos: DXWorld.net

Previsão de Propagação online (VOACAP)

image

O VOACAP online permite, após introdução de alguns dados, gerar uma previsão das condições de propagação, desde o seu QTH, para o QTH do seu correspondente, nas faixas de frequências das banda de HF.

A previsão de propagação é-lhe apresentada inicialmente, utilizando o mapa mundial, onde deve colocar por arrastro ou por coordenadas os dois QTH, e a partir daqui é-lhe dada a hipótese de selecionar diferentes parâmetros alternativos na emissão, como sejam:
– TX antenna:
– TX power:
– TX mode:

Para a estação que recebe, é selecionável  o parâmetro RX Antenna, sendo por padrão o dipolo a uma altura do solo de 10 metros.

O resultado é um gráfico onde figuram as frequências de 2 a 30 MHz e as horas UTC de 0 às 24H. Os pontos de intersecção do "Circuit Reliability (%)" são apresentados em diversas cores, sendo a vermelho as faixas de frequências e horas UTC onde existe uma probabilidade próxima de 100% de se realizar o contato nas condições selecionadas.

Esta versão online do VOACAP, com o seu interface simples e apelativa forma de apresentação dos resultados, promete ser uma ferramenta muito importante para todos os radioamadores.
Visite o VOACAP Online Coverage Area predictions clicando aqui.

Prepare-se para o WAE SSB 2011

image

Neste fim de semana, competidores do mundo inteiro estarão novamente no ar durante o WAE (Work All Europe), etapa Fonia. Nesta tradicional competição, os europeus trabalham estações fora da Europa e as estações fora da Europa trabalham estações europeias. Outra grande característica do WAE são os QTCs, que devem ser trocados entre as estações e valem o mesmo que um QSO.

Participar do WAE é simples e divertido. Se for sua primeira vez ou se ainda estiver com alguma dúvida, assista ao Seminário Online promovido pelo Portal DXBrasil: Descomplicando o WAE.

Abaixo, a tabela de propagação para o WAE SSB 2011:


Tabela de Propagação para o WAE SSB 2011 (175,8 KiB, 273 hits)  Tabela de Propagação para o WAE SSB 2011


Boa sorte e divirta-se!

Estudo Sugere um Grande Ciclo de Atividade Solar

Solar FlareUm novo estudo sobre a atividade solar demonstra que o Sol tem períodos de longa duração com máximos e também com mínimos. Segundo o estudo publicado na Geophysical Research Letters, desde 1920 que o Sol entrou em um grande máximo solar e agora ao poucos está mudando para um grande mínimo solar, a exemplo do que aconteceu entre os anos de 1650 e 1700.

O professor de Física Ambiental Espacial Mike Lockwood diz no estudo:

Todas as evidências sugerem que o Sol vai em pouco tempo sair do grande máximo solar que se estabeleceu antes do início da era espacial. No grande máximo solar, os picos dos ciclos solares de 11 anos são largos e o número de labaredas solares e seus eventos associados, como ejecção de massa coronária, são, em média, maiores. Por outro lado, no grande mínimo solar quase não há manchas solares por muitas décadas. A ultima vez que isto aconteceu foi durante o Mínimo de Maunder, entre 1650 e 1700.

O estudo indica que a maior parte da radiação solar atinge a Terra durante os períodos de média atividade solar. Provavelmente uma explicação para o aquecimento global registrado nas ultimas décadas. Uma das principais ameaças da alta atividade solar é para a tecnologia embarcada no espaço (exemplo, satélites de comunicação e naves espaciais) e para a aviação.

O impacto de um longo período de mínimo solar, como prevê o artigo, pode significar baíssima atividade nas bandas acima de 20MHz e algum efeito benéfico nas bandas abaixo de 10MHz, especialmente 80 e 160m.

Link para o estudo – Solar Induced Climate Effects.

Webinar: Descomplicando o WAE

image

O Portal DXBrasil promoveu um seminário online com o tema: Descomplicando o WAE Contest. O objetivo foi esclarecer vários aspectos sobre o Work All Europe Contest. Atenção especial foi dada ao envio de QTCs, que muitos brasileiros ainda acha muito complicado.

O webinar foi gravado e está disponível em vídeo/áudio aqui.

Abaixo, você pode baixar os slides da apresentação e o mapa de propagação para o WAE CW:


Apresentação: Descomplicando o WAE (621,9 KiB, 188 hits)  Apresentação: Descomplicando o WAE



Previsão de Propagação para o WAE CW 2011 (179,8 KiB, 179 hits)  Previsão de Propagação para o WAE CW 2011


Transmissão acidental causa uma grande confusão

Telegrafia

É comum deixarmos a estação ligada durante longos períodos, monitorando alguma frequência em particular, enquanto estamos em casa. Mas é preciso tomar cuidado redobrado, pois se o seu transmissor entrar no ar acidentamente, pode causar uma grande confusão para você e para os demais radioamadores. Recentemente nos Estados Unidos, uma sequência contínua de pontos ficou no ar por vários dias causando uma confusão daquelas.

Em 15 de julho, Walt Bilous, K3DQB – um Observador Oficial (OO) da ARRL na Pensilvânia, notificou ao Quartel General da ARRL a escuta de uma sequência de pontos sendo transmitidos em telegrafia em 18.0855 MHz. Bilous continuou monitorando o sinal a noite inteira.

O Oficial de Regulamentação de Campo da ARRL, Chuck Skolaut, K0BOG pediu para Bilous alertar outros OOs para monitorarem a frequência, mas o sinal era difícil de monitorar por das mudanças na propagação e desvanecimento características da banda em questão. “Nós alertamos os OOs por todo o país para monitorar e reportar informações sobre o sinal, incluíndo direção e intensidade do sinal”, disse Skolaut. “Nós recebemos respostas de vários Observadores”. Mesmo assim, a origem do sinal continuava incerta, então Skilaut contatou a FCC pedindo apoio.

Na segunda-feira, 18 de julho, a FCC informou que “os sinais foram originados na Califórnia, mas também poderia ser de fora dos Estados Unidos”. Na terça-feira, a ARRL recebeu a notícia da FCC que eles haviam encontrado a origem dos pontos. Eles visitaram a casa de um radioamador e encontraram a causa do problema e o transmissor foi desligado. De acordo com a FCC, um radioamador do Norte da Califórnia deixou acidentalmente o teclado do computador muito próximo da chave de CW. De alguma forma a chave foi empurrada pelo teclado, passando a emitir pontos contínuos.

“Nós agradecemos o empenho de todos os Observadores Oficiais envolvidos e à FCC que prontamente nos atendeu, localizando a fonte e eliminando a causa do sinal, prevenindo mais interferências na banda”, escreveu Skoluat no site da ARRL.

Pelo menos uma lição pode ser aprendida com este episódio: tenha cuidado redobrado para que seu rádio não entre em transmissão acidentalmente. Atente para desligar o VOX e desconectar sua chave quando for deixar o shack por alguma razão.

Próximo Ciclo Solar é Dúvida

Apesar de toda expectativa criada pela chegada do Ciclo Solar 24 e toda a atividade solar observada nos últimos meses, os pesquisadores estão prevendo que o Sol está caminhando para um estado de hibernação, novamente. Os pesquisadores do National Solar Observatory (NSO) e do Air Force Research Laboratory coletaram um grande número de dados a partir da observação do interior do Sol, superfície visível e coronária (atmosfera solar), e as análises sugerem que o ciclo de manchas solares está tendendo para hibernação.

O que vai acontecer com o Sol?

“Aproveitem o espetáculo promovido pelas labaredas solares, a beleza das ejeções de massa coronária; deve levar um bom tempo até que possamos presenciar um ciclo solar novamente,” disse Ian O’Neill. O próximo ciclo solar será o mais fraco da história moderna? Poderia o Ciclo 25 nem começar? As manchas solares se tornaria coisa do passado? Ninguém tem ainda as respostas para estas perguntas, “mas uma coisa é certa: a atividade solar está diminuindo e a atividade magnética está ficando mais fraca” finaliza Ian O’Neill.

E o Aquecimento Global?

Há tempos que uma corrente científica – contrária ao grande negócio criado por trás da indústria do verde – vem alertando que o clima terrestre não é influenciado diretamente pela emissão de gás carbônico (Dióxido de Carbono, CO2) no mundo moderno. A farsa sobre “Aquecimento Global” foi criada para sustentar a chamada “indústria verde” que hoje é responsável por milhares de empregos gerados particularmente na Europa e Ásia. Como todo climatologista de respeito sabe, o clima terrestre é influenciado em larga escala pela atividade solar. Com a diminuição da atividade solar, o clima da terra tenderá a resfriar-se no futuro, como já aconteceu no passado na chamada “Pequena Idade do Gelo”.

Pequena Idade do Gelo?

Se o Sol está mesmo entrando em um período de hibernação, então vamos passar pelo fenômeno que já ocorreu no século 17, foram 70 anos sem registro de manchas solares. Neste período o clima global resfriou, a ponto de existir uma feira sobre o Rio Sena (Londres) que ficou congelado por anos. Este período ficou registrado na histórico com o nome de “Little Ice Age” (Pequena Idade do Gelo). Se isso acontecer, os cientistas-do-apocalipse, que proclamam que o aquecimento global é antropológico e nossas emissões de CO2, cairão do cavalo e terão que admitir o que a boa ciência sempre soube: o clima global é influenciado pelo Sol desde que o mundo é mundo. Leia mais sobre a Pequena Idade do Gelo aqui.

Mas o que vai acontecer com a propagação?

Quanto à propagação… se realmente passarmos por um longo período sem manchas solares, boa parte da brincadeira vai acabar. As bandas altas (acima de 20MHz) não deve mais ser refletida pela Ionosfera e não haverá propagação de ondas de rádio a longa distância, mas por outro lado teremos as bandas baixas (abaixo de 10MHz) com aberturas como nunca vistas na história do rádio. Por exemplo, em 2009 – no meio do mínimo solar entre os ciclos 23 e 24, radioamadores brasileiros ouviram sinais de estações russas em 40m ao meio-dia. A explicação: sem manchas solares, a camada D não deve se formar, permitindo sinais se propagarem por boa parte do dia nas bandas baixas.

Leia outros artigos relacionados: