Arquivo da tag: sk

PY7ALC, Gert Wallerstein (SK)

Com profundo pesar comunico o falecimento de nosso colega e meu grande amigo GERT WALLERSTEIN, PY7ALC, ocorrido na data de hoje, 29 de outubro, em RECIFE-PE, aos 76 anos de idade.

Nosso amigo Gert Wallerstein, PY7ALC foi, sem a menor sombra de dúvidas, um dos mais brilhantes Radioamadores brasileiros. Nascido na Alemanha durante o regime nazista, sua família, que era judia, foi obrigada a sair daquele país no ano de 1936.

Brilhante técnico em eletrônica, radicou-se em São Paulo, onde trabalhou em diversas rádios na manutenção de transmissores, mas nunca pode tirar sua licença de Radioamador devido a uma irônica condição: como ainda não era naturalizado, impedido apenas por sua menoridade civil, não contava também com a cidadania alemã, pois embora fosse natural daquele país, estava impedido da condição de cidadania, devido ao fato de ser judeu, e dessa forma, não poderia ser Radioamador.

Enquanto aguardava a possibilidade de sua naturalização, Gert dedicou-se aos estudos de eletrônica, desenvolvendo interessantes projetos. Com apenas 13 anos de idade, foi o autor de um interessante projeto de transmissor de AM de 15 Watts para as faixas de 40 ou 80 metros com uma válvula 6L6 modulando outra 6L6, que se tornou conhecido ao ser divulgado em 1949 na “lição prática nº 27” do “curso prático de radiotécnica” do famoso Instituto Monitor, e dessa forma esse transmissor acabou se tornando o equipamento caseiro mais difundido entre os Radioamadores novatos nas décadas de 1950 e 1960: http://www.813am.qsl.br/artigos/tx/tx_monitor.pdf

Em 1954, quando Gert finalmente conseguiu a cidadania brasileira, montou um transmissor para a faixa de 80 metros, pois seu maior sonho era poder operar naquela banda, mas teve aí sua primeira desilusão: devido ao ciclo solar da época, a propagação para aquela faixa estava completamente fechada, e por este mesmo motivo, absolutamente abandonada.

No ano de 1965, já em RECIFE-PE, fundou com outros empresários a Eudgert, para se dedicarem à produção de equipamentos de radiocomunicação. Lamentavelmente a Eudgert encerrou suas suas atividades em 1975, pois os demais sócios de Gert Wallerstein, que não eram Radioamadores, não tiveram mais interesse na continuidade das atividades.

Um fato curioso que poucos conhecem: a Yaesu tentou comprar a Eudgert no início da década de 1970, com a intenção de transferir a produção de seus equipamentos para o Brasil, mas a burocracia brasileira impediu a realização dessa fusão.

Sendo uma pessoa responsável, Gert nunca se conformou com o fato dos integrados Plessey apresentarem aquele problema crônico de corrosão com o passar dos anos, e mesmo após ter se afastado de sua indústria, gastou uma pequena fortuna comprando todos os integrados que encontrou a venda na Europa, para poder repor, gratuitamente, aos seus antigos compradores do Eudgert Diamante. Prestativo, para enviar essa encomenda ele acondicionava um kit completo de integrados numa embalagem plástica de saboneteira dentro de uma caixa de papelão, para evitar que qualquer manuseio descuidado pudesse danificar aqueles raros componentes. Eu tive a honra de receber dele – gratuitamente, diga-se de passagem – a última dessas “saboneteiras” com uma série completa com os últimos integradinhos que ele conseguiu comprar – a alto preço. Ele também me confirmou ter sido humilhado por alguns colegas a quem socorreu, tendo virado motivo de chacota por ter escolhido aquela embalagem “simplória”. O problema é que naquela época ele não conseguiu opção melhor para essa finalidade, mas quem a recebeu pode confirmar que ela era perfeita, tanto é que a guardo como uma das minhas mais importantes “relíquias” da minha coleção!

Apesar de ter uma vida marcada por tragédias (ter nascido Judeu na Alemanha nazista, ter perdido a mãe no parto, se ver obrigado a abandonar o país natal

devido ao antissemitismo, viver anos sem ter direito a nenhuma cidadania, passar anos esperando por uma oportunidade de poder operar nas faixas de Radioamador,

ter sido trapaceado descaradamente pelos sócios pilantras), Gert Wallerstein sempre foi uma pessoa serena, prestativa, brilhante, transmitindo uma paz de espírito sem igual com quem conversava. Quem o conheceu mais proximamente, acabou se tornando amigo íntimo. Os filhos também seguiram o mesmo estilo carismático do pai, sendo que o Ludwig, que herdou não só a simpatia e o carisma do Gert, mas também a inteligência, tem hoje uma bem sucedida rede de fotocopiadoras em RECIFE.

De todos os grandes pioneiros da indústria de equipamentos para Radioamadores, Gert Wallerstein foi um dos mais brilhantes, mas sem a menor sombra de dúvidas, o mais carismático de todos!

Afastado do Radioamadorismo (mas de vez em quando, ligava seu Yaesu FT-747 pra corujar o pessoal), e devido às decepções e traumas que teve com o fim de sua empresa, Gert nunca mais teve contato com os equipamentos que fabricou. Ele sequer tinha cópia dos esquemas de seus próprios rádios…

Nesses últimos três meses tentei ir até RECIFE para entrevista-lo, pois estava escrevendo um artigo sobre a Eudgert que será publicado na próxima revista CQ Radioamadorismo, mas infelizmente ele não pode me atender, pois estava com a saúde muito fragilizada, devido a um enfisema pulmonar. O último e-mail que recebi dele foi em 06 de outubro passado, onde recebi o seguinte relato:

“Caro Adinei:

Por estar semi-hospitalizado devido a  uma pneumonia, ficarei inibido temporariamente de responder com rapidez suas mensagens.

Até breve,
Gert Wallerstein”

Até breve, meu amigo! Teus brilhantes ensinamentos e teu inigualável carisma jamais serão esquecidos pelos Radioamadores brasileiros!

73,

Adinei, PY2ADN

Fonte: email escrito por PY2ADN e publicado na lista QRP-BR.

PY2AEO, Trajano (SK)

PY2AEO, Trajaninho (SK)Ontem (17), faleceu Trajano, PY2AEO, um dos radioamadores mais antigos do Brasil e pioneiro nas experimentações em VHF/UHF em nosso país. Abaixo, texto de PY2ADN contando a história deste ilustre radioamador:

Olá, pessoal.

Com pesar comunico o falecimento na data de hoje, aos 89 anos de idade, mas em plena lucidez, do colega TRAJANO DE BARROS CAMARGO, PY2AEO, um dos mais antigos Radioamadores brasileiros.

Trajaninho, como era chamado na cidade de Limeira, era uma lenda no Radioamadorismo brasileiro. Nascido em família de nobre linhagem, sua mãe foi a primeira prefeita e a primeira deputada do país. Também era neto do ex-presidente Prudente de Moraes Barros, tataraneto do Barão de Campinas e filho e seu pai, o famoso industrial Dr. Trajano de Barros Camargo foi um homem à frente de seu tempo, tendo sido um dos primeiros brasileiros a realizar experiências com o rádio, no início da década de 1920 ( o rádio de galena do velho Dr. Trajano está hoje na minha coleção!)

Radioamador desde 1935, desde criança Trajano já fazia experimentações com rádio, e em 1937 iniciou a produção da segunda fábrica de rádios no Brasil, a Blue Star (a primeira foi a Cacique, em 1936), sendo que fabricou desde o chassis até o alto-falante.

Em 1941 alistou-se na escola de aviação do Exército, indo estudar nos Estados Unidos, onde conseguiu material para realizar experimentações em VHF e ampliou seus estudos sobre meteorologia e propagação. Por interferência de sua mãe, que além de política influente era diretora de uma das maiores indústrias do país (a famosa “Macchina São Paulo”), foi impedido de juntar-se em combate aos companheiros que foram à Itália, tendo sido designado – a contragosto – como “supervisor militar” da produção bélica na indústria de sua família.

Com o fim da guerra, Trajano importou uma imensa quantidade de material de radiocomunicação excedente de guerra (surplus), que distribuiu a preço de custo aos Radioamadores brasileiros. Nessa época, como tinha material de qualidade e como também havia se graduado em engenharia elétrica no Mackenzie, Trajano começou a realizar montagens de equipamentos para Radioamadores e também para rádios broadcast, tornando-se renomado ainda no final dos anos 1940. Foi nesse período do pós guerra – justamente quando houve o fim do "QRT geral" imposto pela guerra – é que conseguiu divulgar o VHF e o UHF entre os Radioamadores brasileiros (naquela época, a faixa de VHF era em 112 MHz!), utilizando material "surplus" dos rádios militares Wireless Set MKII 19, tendo sido o verdadeiro pioneiro dessas faixas aqui no Brasil. O Transmissor e o receptor de VHF (AM e CW) para 112 MHz que ele montou em 1941 (!) está em meu poder.

Já no início dos anos 1950 partiu para a área de retransmissores de TV, tendo sido o responsável pela maioria dos equipamentos produzidos nessa área até a década de 1960. Fabricou em série, durante o final da década de 1950, transceptores de UHF AM (!) conhecidos como “vocaline”, pois eram baseados num famoso equipamento dessa marca, utilizando a válvula 6AF4 na saída. A partir dos anos 1960, dedicou-se a manutenção de equipamentos de radiocomunicação comercial SSB, tendo também se tornado uma referência nessa área.

Extremamente humilde e didático, ensinou a arte da transmissão a muitos colegas que acabaram se tornando "feras" em transmissão de AM, como o saudoso Gevaert de Carli Campos PY2BQT (SK), o Amador Jolly PY2BDJ (SK) e o Nelson Liepert PY2NVD.

Lúcido, ainda realizava algumas experimentações, mesmo tendo 89 anos de idade. Apagou os filamentos na tarde de hoje, fazendo QSY para frequências muito mais altas.

73, Adinei, PY2ADN

PY2DBU, Hélio Carlota (SK)

PY2DBU, Hélio Carlota (SK)Ontem, 25 de setembro, o radioamadorismo brasileiro perdeu um grande radioamador. Hélio Carlota, PY2DBU era um ávido DXista (325/343 DXCC) e um dos maiores caçadores de diplomas do mundo.

Rubens, PY2KQ escreveu isso sobre o Carlota:

O Hélio era uma dessas pessoas que ajudam os outros e não fazem alarde disso. Contribuía com expedições e outras iniciativas ligadas ao radioamadorismo, foi, por muito tempo o representante do IOTA para o Brasil e do TENTEN. Fanático caçador de diplomas (todo o acervo está comigo), ele era um verdadeiro Radioamador. Um cara entusiasmado e gentil.

O Carlota era uma figura muito conhecida e respeita no meio radioamadorístico. Toda comunidade lamenta esta perda.

Dom Pepe, PT7BR (SK)

DSC_2255É com pesar que informamos a morte de Pericles, PT7BR, ocorrida no dia 21 de julho de 2011, em Fortaleza. Pepe, como era conhecido, foi muito ativo no DXismo. Ele era membro do Fortaleza DX Group e, apesar de estar QRT há alguns anos, ainda consta no Honor Roll do DXCC com 341/333 países em Fonia. Grande caçador de ilhas, ele também fazia parte do Honor Roll da IOTA com 751 grupos confirmados. Descanse em paz  Dom Pepe!
Seus QSLs sempre foram inconfundíveis:

QSL de PT7BR


Caros amigos;

Péricles era nosso amigo radioamador e seu indicativo de chamada era PT7BR. Para o mundo inteiro, através das ondas de rádio, ele era conhecido como Pepe, um nome mais fácil de ser pronunciado e entendido.

Por nós, seus colegas de rádio, ele era chamado de Pepão, uma maneira carinhosa de tratamento, que ele apreciava bastante.

Pepão era um exemplo de simplicidade, dignidade, honestidade, sinceridade e respeito ao próximo, sendo também um radioamador esforçado, que levava a sério a arte de fazer DX, que é como chamamos nossas comunicações internacionais.

Nossa amizade vem de muitos anos, sendo fortalecida com o passar do tempo e eu o acompanhei muitas vezes em suas viagens de trabalho, pois ele não gostava de viajar sozinho.

Existem pessoas em nossas vidas que nos deixam felizes pelo simples fato de terem cruzado o nosso caminho. Para mim, Pepão foi uma dessas pessoas.

Nos últimos tempos, Pepe passou por momentos muito difíceis, principalmente por problemas de saúde e isso acabou resultando em sua partida para o mundo espiritual.

Ele agora certamente já está presente em outras frequências de rádio, possivelmente em companhia de outros colegas que nos deixaram mais cedo.

Pepão,

Em nome do Fordx, nosso grupo de radioamadores de Fortaleza, envio aqui nosso abraço de amizade ao grande companheiro que você sempre foi, dizendo-lhe apenas que aguarde por todos nós, que algum dia voltaremos a nos reunir alegremente, como sempre fizemos.

Pergentino – PT7AA
27-07-2011